Por que a minha empresa precisa ter um controle de inadimplência?

É bem provável que você não saiba, mas a falta de assiduidade dos seus clientes no pagamento tem um impacto direto nos seus negócios , podendo colocar em risco sua própria sobrevivência, caso não haja um efetivo controle de inadimplência .

Nesse artigo, veremos o que é inadimplência e as causas pelas quais as pessoas atrasam ou deixam de pagar suas dívidas. Além disso, é importante saber como esse fator implica diretamente na saúde financeira da sua empresa e quais as possíveis e efetivas soluções para resolver esse problema.

Inadimplência no Brasil

Fazer o gerenciamento financeiro de uma organização, independentemente do seu porte e segmento, vai muito além de lançar entradas e saídas. Na verdade, é algo bastante complexo e desafiador. Um fluxo de caixa organizado, sendo alimentado diariamente com toda a movimentação da empresa, proporcionará dados concretos, o que será bastante útil.

Entretanto, apesar disso, temos alguns dados variáveis, como água e luz, por exemplo, mas que não tem tanto impacto, pois aumentando o volume produção, fatalmente isso variará e já previsível, ao contrário da inadimplência .

De acordo com o indicador CNDL/SPC Brasil (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e Serviço de Proteção ao Crédito), a inadimplência desacelerou no primeiro semestre de 2019, subindo apenas 0,9%. Contudo, o número de endividados ainda é imenso. Para se ter uma ideia, até abril desse ano, eram 62,6 milhões de pessoas nessa situação.

Isso significa que muita gente deixou de pagar aquilo que consumiu, seja produto ou serviço. Assim, quem não recebeu, sofreu impacto no seu negócio.

Inadimplência e suas possíveis causas

As pessoas deixam de pagar suas contas por algumas razões como:

  • Desemprego;
  • Uso indevido de cartão de crédito;
  • Falta de educação financeira;
  • Desejo de manter um falso status.

De qualquer forma, por um motivo ou por outro, ao prestar um serviço ou vender um produto, houve um custo e você tem o direito de receber por aquilo que vendeu. Mesmo porque sua empresa precisa receber para também honrar com compromissos já assumidos.

Assim, todo seu fluxo de caixa que estava tão bem organizado, sofre um impacto inesperado, principalmente se o valor da inadimplência for grande, em função da quantidade de clientes que deixaram de lhe pagar.

Impactos da inadimplência nos negócios

Como vimos anteriormente, a inadimplência atrapalha a gestão financeira, pois você estava contando com um dinheiro naquele dia e ele deixou de entrar. Como você vai lidar com essa falta? O que ficou é o suficiente para cobrir as contas do dia?

É bem verdade que essa falta pode ser temporária, uma vez que não é raro clientes deixarem de pagar por esquecimento ou desorganização. No entanto, se a demora em resolver persistir por mais um tempo, veja suas possíveis consequências:

  • Se você estava contando com aquele valor para cobrir uma conta no mesmo dia, terá de atrasar ou pegar algum empréstimo bancário. De uma forma ou de outra, ainda que por poucos dias, você terá de pagar multa e juros de mora;
  • Pagando acréscimos em suas contas, fará o seu lucro diminuir;
  • Investimentos que estavam previstos para ocorrer em sua empresa terão de ser adiados;
  • O hábito de descontar duplicatas também contribuirá para a redução de sua lucratividade;
  • Baixa lucratividade impede novos investimentos e comprometem o crescimento da empresa;
  • Com poucos recursos, seu poder de negociação diminui, o que ainda dificulta aproveitar boas oportunidades que surgirem, pois a sua reserva financeira teve de ser utilizada para cobrir o rombo provocado pela inadimplência.

Quando a crise é temporária e no seu preço, você já contempla um valor para riscos, ainda é mais fácil de contornar o problema. Todavia, se for algo mais duradouro, fará a lucratividade cair a tal ponto que logo se transformará em prejuízo.

Assim, resta-nos a pergunta: seu negócio foi concebido para dar lucro ou prejuízo? Obviamente que lucro! Mas o fato é que se você não fizer o controle da inadimplência, ela inviabilizará o negócio, pois os danos em seu fluxo de caixa podem se tornar irreversíveis.

Acompanhe como as coisas chegam nesse ponto se o controle da inadimplência não for feito:

  • Dever para os colaboradores: Ninguém trabalha de graça. Muitos funcionários têm suas famílias para sustentar e dívidas para quitar. Logo, estarão à procura de um emprego que lhes dê mais garantias e estabilidade. Em muitos casos, mão de obra qualificada é difícil de se encontrar;
  • Dever para os fornecedores: Seus parceiros de negócio também possuem seus respectivos compromissos e com receio de não receber, aos poucos, deixarão de fornecer produtos e serviços dos quais sua empresa depende para seguir com a operação;
  • Dever para empresas de consumo: Sem dinheiro, logo os atrasos na água, luz, telefone começam a ficar descontroladas e aumentam em volume, levando seus lucros embora, ao pagar juros e multas.

O fato é que as entradas e saídas do seu fluxo de caixa, obrigatoriamente, precisam ter um saldo positivo. Sem recursos para honrar os compromissos assumidos, a imagem da sua empresa começa a perder força no mercado.

Controle da inadimplência

Sua empresa precisa ter um controle da inadimplência porque você não pode deixar que isso afete a sobrevivência daquilo que você conquistou a duras penas.

Há várias estratégias efetivas para evitar que isso aconteça:

1.

Sinais.

Observe se o cliente está insistindo muito em prorrogar o vencimento da compra efetuada. Treine sua equipe de vendas para isso. Vendas erradas comprometem o negócio;

2.

Reserva. Faça uma reserva monetária para emergências;3.

Preço.

Considere uma margem de risco na hora de compor seus preços;

4.

Capacidade financeira. Analise melhor a capacidade financeira do cliente antes de fechar o negócio.

Consulte o cadastro positivo e se a transação for B2B, consulte o CNPJ;

5.

Fluxo de caixa.

Anote tudo no seu fluxo de caixa e acompanhe diariamente suas movimentações;

6.

Crédito.

Tenha um limite de crédito e haja com objetividade, estabelecendo políticas contratuais claras;

7.

Metas.

Sempre pensamos em metas para o comercial, mas estabeleça metas para diminuir a inadimplência também;

8.

Rapidez.

Notou que um cliente não pagou? Faça contato imediato. A probabilidade de pagamento aumenta quando você é rápido na cobrança.

Além dessas estratégias, adotar um software de cobrança é o que de melhor você pode fazer, pois há disparos de lembretes avisando sobre o vencimento, mensagens padronizadas e personalizadas de acordo com o perfil do cliente inadimplente, sem mencionar os cálculos de juros automáticos.

Há uma série de outros benefícios, sem contar que você não precisará se indispor com o cliente. Vale muito a pena considerar essa possibilidade. Valorize todo o seu esforço e trabalho!

Fontes:

https://www.spcbrasil.org.br/pesquisas/indice/6489
https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/24895/000745520.pdf?sequence=1&isAllowed=y
http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/bis/como-considerar-os-efeitos-da-inadimplencia-no-fluxo-de-caixa,93ff5e130530d410VgnVCM2000003c74010aRCRD